google.com, pub-7363809219244122, RESELLER, f08c47fec0942fa0

Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Em Português Correcto

Blog interactivo onde se pretende dar resposta a questões sobre o português falado e/ ou escrito

Interdisciplinaridade ou interdisciplinariedade?

A forma correcta é “interdisciplinaridade”. Esta palavra resulta da junção do prefixo “inter-“ ao substantivo “disciplinaridade” (disciplinar + idade).
A terminação –iedade encontra-se em palavras que resultaram da junção deste sufixo a um adjectivo terminado em –io (ex. arbitrário – arbitrariedade; solidário – solidariedade) ou em palavras que derivam directamente do latim (ex. proprietatis > propriedade).
Por isso, deve escrever-se “interdisciplinaridade”.

Dupla negativa

a)      Eu não tenho nenhuma dúvida.
b)      Isso não me interessa nada.
c)      Eu não vi ninguém.
 
Nas frases anteriores, utilizam-se dois elementos negativos na mesma frase. O uso de duas formas de negação serve para reforçar a negativa. Quando o advérbio “não” surge em primeiro lugar, podem surgir pronomes indefinidos com sentido negativo em segundo lugar (nenhum, nada, ninguém…). Assim, qualquer uma das frases acima apresentadas está correcta.
Contudo, caso o pronome indefinido com sentido negativo surja no início da frase, não se deve usar o advérbio “não”. Exemplos:
 
- Ninguém te viu.
- Nada me interessa.
 
Em relação à frase da alínea a) podemos, ao invés do uso da dupla negativa, usar o “não” seguido de algum (alguma, alguns, algumas), desde que este apareça antes do substantivo. Exemplos:
 
- Eu não tenho dúvida alguma.

Aluga-se ou alugam-se carros?

A forma mais aconselhada pelos gramáticos, para este tipo de estrutura, é a colocação do verbo no plural. Isto porque a expressão “alugam-se carros” é equivalente a “Carros são alugados” e o “se” é apassivante.
Contudo, apesar de não ser a mais correcta, não se pode rejeitar totalmente a expressão “aluga-se carros”, uma vez que podemos considerar que, neste caso, o pronome “se” tem a função de sujeito impessoal, equivalendo a “alguém aluga carros”.
Em conclusão, deve optar-se, sobretudo em linguagem cuidada, pela colocação do verbo no plural de forma a concordar com o sujeito. Assim, devemos escrever:
 
- Alugam-se carros
- Vendem-se casas
- Executam-se trabalhos de costura

Arquitecto paisagista ou arquitecto paisagístico?

Segundo o Dicionário Verbo de Língua Portuguesa (2006) “paisagista” designa o “que representa ou descreve paisagens” e “o arquitecto que estuda e enquadra a paisagem nos conjuntos arquitectónicos, rurais ou urbanos”. Assim podemos falar de “arquitectura paisagista” e de “arquitectos paisagistas”.

Já o adjectivo “paisagístico” é definido, no mesmo dicionário, como o “que pertence ou se refere a paisagem, no seu aspecto natural ou no seu ordenamento urbano”. Assim, podemos falar de “área de interesse paisagístico” e de “planeamento paisagístico”.

Corrector ou corretor?

Corrector e corretor são palavras muito parecidas, contudo têm significados muito diferentes.
 
  • Corrector – provém do latim correctore. Designa aquele que corrige algo ou alguém.
  • Corretor – provém do latim curatore. É o agente comercial que cuida (cura) dos interesses do seu cliente.

Assim:

- Consultei um corrector linguístico que me disse que isto estava errado.

- Falei com o meu corretor e vou investir naquelas acções.