Blogue interativo onde se pretende responder a perguntas frequentes de Língua Portuguesa.

Envie dúvidas para:

portuguescorrecto@gmail.com

Este blogue recomenda:

Pontapés na Gramática - www.wook.pt

Ligações

Parcerias

arquivos

Junho 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Outubro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Março 2012

Janeiro 2012

Agosto 2011

Janeiro 2011

Julho 2010

Fevereiro 2010

Agosto 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

blogs SAPO

subscrever feeds

Segunda-feira, 10 de Setembro de 2007

Dúvidas com o grau superlativo absoluto sintético

- O homem é muito forte; é fortíssimo!
- O café é muito amargo; é amarguíssimo ou amaríssimo?
 
Quando queremos acentuar uma determinada qualidade expressa por um adjectivo, utilizamos o grau superlativo sintético. Geralmente este grau forma-se acrescentando o sufixo –íssimo (não esquecer o acento)ao adjectivo, quando este termina em consoante e retirando-se a vogal final se o adjectivo terminar em vogal:
 
Original – originalíssimo
Triste – tristíssimo
 
Contudo, há adjectivos que sofrem modificações na sua passagem para este grau, adoptando a forma latina primitiva. Assim:
 
- os adjectivos terminados em – vel formam o superlativo em –bílissimo:
 
Ex. amável – amabilíssimo
       Agradável – agradabilíssimo
 
- os adjectivos terminados em –z fazem o superlativo em –císsimo:
 
Ex. capaz – capacíssimo
      Feliz – felicíssimo
 
- os que terminam em vogal nasal (com –m em final de palavra) formam o superlativo em –níssimo:
 
Ex. comum – comuníssimo
 
- os adjectivos terminados em –ão fazem o superlativo em –aníssimo:
 
Ex. pagão – paganíssimo
       São – saníssimo
 
Há ainda outros adjectivos que no grau superlativo absoluto apresentam grandes diferenças em relação ao adjectivo no grau normal:

 
Amargo – amaríssimo
Amigo – amicíssimo
Antigo – antiquíssimo
Cristão – cristianíssimo
Cruel – crudelíssimo
Doce – dulcíssimo ou docíssimo
Fiel – fidelíssimo

 
Geral – generalíssimo
Nobre – nobilíssimo
Pessoal – personalíssimo
Sábio – sapientíssimo
Sagrado – sacratíssimo
Simples – simplicíssimo ou simplíssimo
Soberbo – superbíssimo

Frio - frigidíssimo
Para além destes casos, há adjectivos que formam o grau superlativo em –imo (fácil – facílimo; humilde - humílimo) e –rimo (célebre – celebérrimo; pobre – paupérrimo ou pobríssimo; negro - nigérrimo).
 
A resposta à pergunta inicial é, portanto, amaríssimo, a forma correcta do superlativo absoluto sintético do adjectivo amargo.
publicado por PN às 22:28

link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito

Genuidade?

- O quadro foi sujeito a testes para comprovar a sua genuidade.
 
“Genuidade” é uma forma errada. O correcto é “genuinidade”, palavra formada a partir de genuíno.
publicado por PN às 22:28

link do post | comentar | favorito

Outrem ou outrém?

- Eu trabalho por conta de outrém.
 
Erradamente encontra-se, muitas vezes, a palavra “outrem” registada com acento. Tal erro poderá justificar-se pela analogia com “alguém” (que também costuma aparecer incorrectamente escrita sem acento).
Para que não subsistam dúvidas, escreva-se:
 
- alguém                       - outrem
- ninguém
publicado por PN às 22:27

link do post | comentar | favorito

Mandado ou Mandato?

  • A polícia revistou a casa do suspeito em cumprimento de um mandado/ mandato de busca.
 Mandato e mandado são palavras parónimas, isto é, parecidas na escrita e na pronúncia mas diferentes quanto ao significado.
Mandato é um substantivo que significa “autorização”, “poder que alguém confere a outrem para, em seu nome, praticar certos actos”; “procuração “; “delegação”; “ordem”; “sentença ou decreto”.
Mandado, além de adjectivo, pode ser substantivo significando “ordem judicial”: mandado de captura, de prisão, de detenção, de busca, etc.
Assim, dizemos:
 
- A polícia revistou a casa do suspeito em cumprimento de um mandado de busca.
- O Presidente cumpre um segundo mandato eleitoral.
- O juiz mandou emitir um mandado de captura.
publicado por PN às 22:25

link do post | comentar | favorito

Personalisar ou personalizar

Em língua portuguesa as terminações verbais em –isar e –izar suscitam dúvidas. Esta dificuldade é, no entanto, fácil de resolver.
Os verbos terminados em –isar escrevem-se com “s” quando no radical de que deriva o verbo já existe um “s”.
Exemplo:
análise – analisar;
bis – bisar;
catálise – catalisar;
pesquisa – pesquisar.
Como é fácil de perceber, a maioria dos verbos têm a terminação –izar, ou seja, escrevem-se com “z”: personalizar, moralizar, canalizar, eternizar.
publicado por PN às 22:22

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

pesquisar

 

tema

"de forma que” ou “de forma a que”

"façamos" e "possamos" (pronúncia de)

à

à bocado ou há bocado; à pouco ou há pou

a cerca de

à falta de/ há falta de

a fim ou afim

a herpes ou o herpes

á ou há

à parte ou aparte

à pouco ou há pouco

a ver ou haver

à vontade ou à-vontade

à/há/a

abreviaturas

abstenção ou abstinência

acerca de

acerto ou asserto

acessibilidade ou acesso

acordo ortográfico

açoreano ou açoriano

adesão ou aderência

adjectivos

adn ou dna

ah

album ou álbum

alcoolemia ou alcoolémia

aldeão (plural de)

aluga-se ou alugam-se

alugar ou arrendar

amaríssimo

analisar ou analizar

andar ou andarem (infinitivo impessoal o

anteontem ou antes de ontem

antes de mais ou antes demais

aonde ou onde

apesar de a ou apesar da

apetência ou aptidão

aprender e apreender

apresentar-se-à ou apresentar-se-á

arrolhar ou arrulhar

ás ou às

assoar ou assuar

atractivo ou atraente

atraem ou atraiem

aula de inglês em natal

bêbado ou bêbedo

bem haja/ bem aja/ bem hajam

benvindo/ bem-vindo

bilião

blogómetro; top 10

boas festas ou boas-festas

bocal ou bucal

bolçar ou bolsar

ç

c

caber ou couber

caem ou caiem

calçar ou vestir luvas

cartuxo ou cartucho

cérbero ou cérebro

cerrar ou serrar

chamar a/ à atenção

cheque ou xeque

círculo ou ciclo vicioso

climático ou climatérico

clínico geral (feminino de)

cobarde ou covarde

côco ou coco

com nós ou connosco

com ou sem "h"

concertar ou consertar

concerteza ou com certeza

concerto ou conserto

concordância com "o número de"

conjugação pronominal

consolado ou consulado

consolar ou consular

convidamo-vos ou convidamos-vos

cor ou côr

corrector ou corretor

costear ou custear

costeleta ou costoleta

cota ou quota

currículo ou curriculum

de que

de repente ou derrepente

decerto/ de certo

decorrer ou decorrimento

defenida ou definida

deferir ou diferir

degradado ou degredado

demais ou de mais

desapercebido ou despercebido

desfolhar ou folhear

desfrutar ou disfrutar

desmentimento ou desmentido

pronomes

tacha ou taxa

ter de ou ter que

todas as tags