Blogue interativo onde se pretende responder a perguntas frequentes de Língua Portuguesa.

Envie dúvidas para:

portuguescorrecto@gmail.com

Este blogue recomenda:

Pontapés na Gramática - www.wook.pt beruby.com, o portal onde podes poupar!

Ligações


contador de visitas

Parcerias

arquivos

Agosto 2014

Junho 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Outubro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Março 2012

Janeiro 2012

Agosto 2011

Janeiro 2011

Julho 2010

Fevereiro 2010

Agosto 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

blogs SAPO

subscrever feeds

Sexta-feira, 29 de Fevereiro de 2008

Onde ou donde?

Onde é um advérbio que indica permanência, referindo situações de lugar sem movimento. É equivalente a “ no lugar em que”, quando usado como relativo:
 
- A rua onde vives é calma.
 
Quando usado como interrogativo, equivale a “em que lugar”:
 
- Onde está o teu irmão?
 
Donde corresponde à contracção da preposição “de” com o advérbio “onde”. Exprime origem ou procedência, equivalendo a “de que lugar”:
 
- Donde é que ele veio?
 
É também utilizado para indicar uma conclusão ou uma consequência de algo que se disse anteriormente, significando “do que se conclui”, “daí”:
 
- Ele ontem bebeu demasiado, donde os disparates que disse.
publicado por PN às 23:16

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quinta-feira, 28 de Fevereiro de 2008

Moral ou mural?

a) Ele não tem ___________ para a poder condenar.
b) Ele pintou um ___________ magnífico.
 
Qual a palavra correta em cada uma das frases? Confirme com a definição:
 
  • Moral “conjunto de costumes e opiniões que um indivíduo ou um grupo de indivíduos possuem relativamente ao comportamento”; “conjunto de regras de comportamento consideradas como universalmente válidas”; “ética”, “valores”.


  • Mural – “relativo a muro”, “pintura”.
 Portanto:
a)      Ele não tem moral para a poder condenar.
b)      Ele pintou um mural magnífico.

 

Fontes

Imagens daqui e daqui.
publicado por PN às 23:15

link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 27 de Fevereiro de 2008

Morar ou murar?

Vou murar a minha casa.
                                                
Está a frase correcta? Sim, porque:
 
  • Murar – pôr muros
  • Morar – habitar
 
Logo,
 
- Ele vai murar a casa, para ficar mais protegida.
- Eu vou morar numa vivenda.
publicado por PN às 23:14

link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 26 de Fevereiro de 2008

Impotável ou imputável?

Numa fonte estava afixado o seguinte aviso:
 
 
Água imputável para consumo
 
     Estará aqui a palavra “imputável” correctamente utilizada? Vejamos o que significam estes adjectivos:
 
  • Imputável – é aquilo que se pode imputar, ou seja, atribuir a alguém.
  • Impotável – é o que não se pode beber.
 
Assim:
 
- A água daquela fonte era impotável.
- Ele foi prejudicado por um erro imputável à administração.
publicado por PN às 23:12

link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 25 de Fevereiro de 2008

Consolado ou consulado?

- Comi muito. Estou mesmo _______________!
 
E agora? “Consolado” ou “consulado”?
 
  • Consolado quer dizer “aliviado”, “confortado”, “animado”, “satisfeito”, “regalado”.
  • Consulado refere-se a “cônsul” podendo designar as funções e a duração do cargo que lhe é atribuído, ou à sua residência ou local onde exerce essas funções.
 Exemplos:
 
- Comi muito. Estou mesmo consolado!
- Ele foi consolado pelos amigos.
- Fui ao consulado português tratar de uns documentos.
publicado por PN às 23:11

link do post | comentar | favorito
Domingo, 24 de Fevereiro de 2008

Cerrar ou serrar?

- Ele está a ____________ uma tábua para fazer um móvel.
 
Qual a forma correcta? Vejamos a diferença:
 
  • Cerrar significa “fechar”;
  • Serrar quer dizer “cortar com serra”.
 
Logo:
 
- Ele está a serrar uma tábua para fazer um móvel.
- É preciso cerrar fileiras em defesa da liberdade.
publicado por PN às 23:10

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sábado, 23 de Fevereiro de 2008

Acerto ou asserto?

a) Pedi para me fazerem um _____________ na minha conta.
 
Qual a palavra que completa a frase? Vejamos:
 
  • Acerto significa “ajuste”;
  • Asserto é sinónimo de “afirmação”, “asserção”.
 
Assim:
- Pedi para me fazerem um acerto na minha conta.
- Ele falou com asserto.
 
Não se deve também confundir “acerto”(acêrto), com “acerto”(acérto) forma do verbo acertar. Exemplo:
 
- Eu acerto sempre no alvo.
publicado por PN às 23:09

link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 22 de Fevereiro de 2008

Concordância do verbo com sujeito composto

Quando temos um sujeito composto, em geral, o verbo vai para o plural:
 
- A Maria e o irmão saíram.
 
Há, no entanto, algumas excepções.
 
1.Quando os elementos do sujeito estão ligados por “com”, o verbo pode usar-se no plural se concordar com ambos os elementos, ou no singular se concordar com o primeiro sujeito.
 
O João com a Maria foram ao cinema.
O João, com o primo, foi ao cinema.
 
2. Se os elementos do sujeito são ligados por “ou” ou “nem”, o verbo vai para o plural se a acção disser respeito aos dois elementos, ou fica no singular se apenas tiver a ver com um dos elementos.
 
Nem a chuva nem o frio o impediram de sair.
Ele queria vir, mas ou o trânsito ou o trabalho impediu-o.
 
3. Com as expressões “um ou outro” e “nem um nem outro”, o verbo fica geralmente no singular, embora também possa ficar no plural.
 
Nem um nem outro percebeu o que se tinha passado.
Nem um nem outro perceberam o que se tinha passado.
 
4. O verbo pode ficar no singular quando os elementos do sujeito são resumidos por um pronome indefinido como “cada qual”, “cada um”, “nada”, “ninguém”, “tudo”, etc.
 
A Ana, o irmão e os pais, ninguém saiu de casa.
 
5. Quando os elementos do sujeito estão ligados por uma conjunção comparativa (como, assim como, bem como, etc.), o verbo pode concordar com o primeiro elemento se se pretende destacá-lo
 
A Maria, como o irmão, é inteligente.
 
6. Quando o verbo vem antes do sujeito, pode haver concordância com o elemento mais próximo, caso em que o verbo fica no singular.
 
Chegou a vizinha do rés-do-chão e o marido.
 
7. O verbo pode ficar no singular quando os elementos do sujeito são dois ou mais infinitivos.
 
Ir lá, encontrá-lo e abraçá-lo era o que ela mais queria.
publicado por PN às 23:07

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 21 de Fevereiro de 2008

Pronúncia de "façamos" e "possamos"

A pronúncia de formas verbais na primeira pessoa do plural do presente do conjuntivo como “façamos” ou “possamos” suscita algumas dúvidas. Esta dificuldade está relacionada com a confusão gerada com outras formas verbais do mesmo tempo verbal, levando a que algumas pessoas tendam a pronunciar estas formas verbais como sendo acentuadas na antepenúltima sílaba.

Vejamos então como pronunciar correctamente:

- Que eu faça (fássa)

 - Que nós façamos (fassâmos)

 

- Que eu possa

- Que nós possamos (pussamos)

publicado por PN às 23:05

link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 20 de Fevereiro de 2008

Fizeste ou fizestes?

Manuel, fizestes o que eu te disse?
 
Erradamente, tal como na frase acima enunciada, emprega-se para a segunda pessoa do singular (tu) a forma correspondente à segunda pessoa do plural (vós). Com efeito, a segunda pessoa do singular do pretérito perfeito termina em –ste:
 
- (tu) falaste
- (tu) perdeste
- (tu) fugiste
 
A forma da segunda pessoa do plural do pretérito perfeito termina em –stes:
 
- (vós) falastes
- (vós) perdestes
- (vós) fugistes
 
Assim:
 
- Manuel, fizeste o que eu te disse?
- Manuel e Maria, fizestes o que vos disse?
publicado por PN às 23:04

link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito

pesquisar

 

tema

"de forma que” ou “de forma a que”

"façamos" e "possamos" (pronúncia de)

à

à bocado ou há bocado; à pouco ou há pou

a cerca de

à falta de/ há falta de

a fim ou afim

a herpes ou o herpes

á ou há

à parte ou aparte

à pouco ou há pouco

a ver ou haver

à vontade ou à-vontade

à/há/a

abreviaturas

abstenção ou abstinência

acerca de

acerto ou asserto

acessibilidade ou acesso

acordo ortográfico

açoreano ou açoriano

adesão ou aderência

adjectivos

adn ou dna

ah

album ou álbum

alcoolemia ou alcoolémia

aldeão (plural de)

aluga-se ou alugam-se

alugar ou arrendar

amaríssimo

analisar ou analizar

andar ou andarem (infinitivo impessoal o

anteontem ou antes de ontem

antes de mais ou antes demais

aonde ou onde

apesar de a ou apesar da

apetência ou aptidão

aprender e apreender

apresentar-se-à ou apresentar-se-á

arrolhar ou arrulhar

ás ou às

assoar ou assuar

atractivo ou atraente

atraem ou atraiem

aula de inglês em natal

bêbado ou bêbedo

bem haja/ bem aja/ bem hajam

benvindo/ bem-vindo

bilião

blogómetro; top 10

boas festas ou boas-festas

bocal ou bucal

bolçar ou bolsar

ç

c

caber ou couber

caem ou caiem

calçar ou vestir luvas

cartuxo ou cartucho

cérbero ou cérebro

cerrar ou serrar

chamar a/ à atenção

cheque ou xeque

círculo ou ciclo vicioso

climático ou climatérico

clínico geral (feminino de)

cobarde ou covarde

côco ou coco

com nós ou connosco

com ou sem "h"

concertar ou consertar

concerteza ou com certeza

concerto ou conserto

concordância com "o número de"

conjugação pronominal

consolado ou consulado

consolar ou consular

convidamo-vos ou convidamos-vos

cor ou côr

corrector ou corretor

costear ou custear

costeleta ou costoleta

cota ou quota

currículo ou curriculum

de que

de repente ou derrepente

decerto/ de certo

decorrer ou decorrimento

defenida ou definida

deferir ou diferir

degradado ou degredado

demais ou de mais

desapercebido ou despercebido

desfolhar ou folhear

desfrutar ou disfrutar

desmentimento ou desmentido

pronomes

tacha ou taxa

ter de ou ter que

todas as tags