Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Em Português Correcto

Blog interactivo onde se pretende dar resposta a questões sobre o português falado e/ ou escrito

Plural de palavras terminadas em "ão"

Os nomes terminados em -ão formam o plural de três maneiras diferentes: em "ões", "ãos" ou "ães". Esta variação está relacionada com a origem da palavra. Por exemplo, o plural de pão é pães porque a palavra latina era panes.

Há algumas regras que podem ajudar a perceber como é o plural das palavras.

 

1. A maioria das palavras terminadas em -ão, forma o plural em -ões. Neste grupo incluem-se todos os aumentativos.

 

balão - balões

botão - botões

estação - estações

leão - leões

casarão - casarões

espertalhão - espertalhões

 

2. Todas as palavras graves (paroxítonas) formam o plural em -ãos, mas também algumas palavras agudas (oxítonas) e monossilábicas.

órfão - órfãos

sótão - sótãos

irmão - irmãos

pagão - pagãos

chão - chãos

mão - mãos

grão - grãos

 

3. Um pequeno número muda a terminação de -ão para -ães

alemão - alemães

cão - cães

capitão - capitães

charlatão - charlatães

pão - pães

sacristão - sacristães

tabelião - tabeliães

 

Algumas palavras aceitam várias formas de plural. É o caso de:

- aldeão - aldeões/ aldeãos/ aldeães

- anão - anões/ anãos

- ancião - anciãos/ anciães/ anciões

- castelão - castelãos/ castelões

- corrimão - corrimãos/ corrimões

- ermitão - ermitãos/ ermitães/ ermitões

- hortelão - hortelãos/ hortelões

- refrão - refrães/ refrãos

- rufião - rufiões/ rufiães

- sultão - sultões/ sultãos/ sultães

- Verão - verões/ verãos

- vilão - vilãos/ vilões

Feminino de embaixador

- Que nome se dá a uma mulher que dirige uma embaixada?
 
Embaixadora é a palavra que se institucionalizou para designar a mulher que ocupa o mais alto cargo diplomático de representação de um Estado noutro, chefiando uma embaixada.  
 
Provavelmente alguns leitores estarão a questionar-se:
 
- Mas o feminino de embaixador não é embaixatriz?
 
Sim, caríssimos leitores, embaixatriz é o feminino de embaixador, mas embaixadora também é aceite como tal. A razão deste “duplo” feminino prende-se com questões relacionadas com a tradição.
Antigamente só os homens é que ocupavam o cargo de chefia de uma embaixada. Frequentemente, os embaixadores deslocavam-se com as suas famílias, em especial com as esposas a certos eventos. Passou-se então a chamar à esposa do embaixador, embaixatriz. Ora, os tempos mudaram e o cargo já pode também ser ocupado por mulheres. Para se diferenciarem das tradicionais embaixatrizes, esposas dos embaixadores, surgiu o termo embaixadoras.
Assim, hoje a palavra embaixador tem um duplo feminino e, assim chamamos:
 
  • Embaixatriz, à esposa do embaixador
  • Embaixadora, à mulher responsável pela chefia de uma embaixada
 
A primeira mulher portuguesa que exerceu este cargo (na UNESCO de 1975 a 1979), Maria de Lourdes Pintassilgo, foi oficialmente designada como embaixadora. Mais recentemente, Ana Gomes exerceu o cargo de Embaixadora de Portugal em Timor e actualmente temos duas embaixadoras, uma na Nigéria e outra na Eslovénia.
Já agora, ainda no âmbito dos cargos diplomáticos, o feminino de cônsul é consulesa.

Vomitar ou Gomitar?

Durante algum tempo, quando era criança, dizia "eu gomito", pois era o termo que usava a minha avó. Mais tarde, ensinaram-se que se devia dizer "eu vomito".

Com efeito, vomitar é o verbo consagrado pelo português padrão, mas "gomitar" surge-nos também no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, 8.ª edição, como sendo a forma popular de vomitar.

Por isso, embora se aceite "gomitar" enquanto regionalismo, deve-se usar a forma "vomitar".

Mais bem ou melhor?

Qual a frase correcta?

 

a) Ele está mais bem preparado para o teste. 

b) Ele está melhor preparado para o teste.

 

Analisemos cada uma das expressões destacadas. "Mais bem" é o comparativo do advérbio "bem". "Melhor" é o comparativo de "bom".

O que está em causa nesta expressão? O estar bem preparado ou o estar bom preparado? Exacto, "estar bem preparado", logo a frase correcta é a da alínea a).

A expressão "mais bem" vem acompanhada de um particípio passado que acaba por funcionar como adjectivo e forma um todo com o advérbio. Daí que tenhamos expressões como bem-parecido e bem-feito que acabaram por se unir com um hífen. Assim, dizemos:

 - Ele é mais bem-parecido que o irmão.

- Este bife está mais bem temperado do que o que comi ontem.

 

Desapercebido ou despercebido?

Qual é a frase correcta?
 
a)      Ele passou tão desapercebido que ninguém deu pela sua passagem.
b)      Ele passou tão despercebido que ninguém deu pela sua passagem.
 
A resposta acertada seria a da alínea b). Repare na distinção entre os dois termos:
 
- Desapercebido = Significa “desprevenido; desguarnecido; desacautelado”.
 
Exemplo:
 
És tão desapercebido. Não te apercebeste que ela estava a brincar contigo.
 
- Despercebido = Significa “que não se vê, não se ouve, não se nota ou mal se sente”.
 
Exemplo:
Com um gesto despercebido, ele roubou-lhe a carteira.
 
Com esta palavra também se formam as seguintes expressões:
 
- fazer-se despercebido = fingir que não se percebe alguma coisa.
- passar despercebido = passar sem ser notado.

Ir ao encontro de ou ir de encontro a?

Qual a expressão que devo usar para indicar que o João concorda comigo?

a) O João foi de encontro ao que eu disse.

b) O João foi ao encontro do que eu disse.

 

A expressão correcta, neste caso, é “foi ao encontro do que eu disse”. Repare na distinção entre as duas expressões:

 

Ir ao encontro de = ir em direcção a; estar de acordo com.

Exemplos:

- O João foi ao encontro da mãe. (=o João foi em direcção à mãe)

- Isso vai ao encontro do que sempre pensei. (= isso está de acordo com o que pensava)

 

Ir de encontro a = ir contra algo ou alguém

Exemplos:

- O João tropeçou e foi de encontro à porta. (=foi contra a porta)

- O parecer foi de encontro àquilo que pretendíamos. (=foi contra o que pretendíamos)

 

Assim, em português correcto, quando alguém concorda connosco, usamos “ir ao encontro de”, quando não está de acordo, utilizamos “ir de encontro a”.

Retratar ou retractar?

"É mentira. É uma grandessíssima mentira. Exijo que aquele senhor se retrate!"

 

Com frequência estes dois verbos são confundidos. Na frase acima usou-se erroneamente a forma "retrate", do verbo retratar que significa fazer um retrato. Portanto, está-se a pedir que alguém faça um retrato de si próprio, ao invés de pedir que desminta algo que disse anteriormente.

Assim em português correcto dever-se-ia escrever:

 

"Exijo que esse senhor se retracte!"

Plural de zângão

O plural de zângão, macho da abelha, é zângãos.

 

As formas "zangãos" e "zangões" são aceites como plural de "zangão", pessoa que se zanga com facilidade.

 

Assim, não se esqueça de colocar o "chapéu" (acento circunflexo) no "a" quando se referir à abelha macho nem que o plural é "zângãos".

Ter a ver ou ter a haver?

Qual é a forma correcta?

 

a)      Isso não tem nada a ver com este assunto.

b)      Isso não tem nada a haver com este assunto.

 

A frase mais correcta é a da alínea a). Com efeito, as expressões “ter a ver” e “ter a haver” podem ser confundidas. Vejamos o que cada uma significa:

 


  • Ter a ver = ter relação (com), dizer respeito (a).


  • Ter a haver = ter a receber.



 

Clarifiquemos melhor com alguns exemplos:

 



  1. O João não tem nada a ver com este problema. (=o problema não diz respeito ao João, não está relacionado com ele)



  2. O João não tem nada a haver. (= o João não tem nada para receber.)



 

A confusão entre estas duas expressões poderia ser evitada se em vez de “ter a ver” usássemos a expressão mais correcta “ter que ver”. Realmente “ter a ver” é um galicismo, isto é, uma expressão que importámos do francês e que cada vez usamos mais em vez da portuguesa “ter que ver”.

            Assim, em português correcto, devemos dizer:

 

Isso não tem nada que ver com este assunto.