Blogue interativo onde se pretende responder a perguntas frequentes de Língua Portuguesa.
Site Meter

Envie dúvidas para:

portuguescorrecto@gmail.com

Este blogue recomenda:

Pontapés na Gramática - www.wook.pt

Ligações

Parcerias

arquivos

Junho 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Outubro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Março 2012

Janeiro 2012

Agosto 2011

Janeiro 2011

Julho 2010

Fevereiro 2010

Agosto 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

blogs SAPO

subscrever feeds

Segunda-feira, 10 de Novembro de 2008

Plural de palavras terminadas em "ão"

Os nomes terminados em -ão formam o plural de três maneiras diferentes: em "ões", "ãos" ou "ães". Esta variação está relacionada com a origem da palavra. Por exemplo, o plural de pão é pães porque a palavra latina era panes.

Há algumas regras que podem ajudar a perceber como é o plural das palavras.

 

1. A maioria das palavras terminadas em -ão, forma o plural em -ões. Neste grupo incluem-se todos os aumentativos.

 

balão - balões

botão - botões

estação - estações

leão - leões

casarão - casarões

espertalhão - espertalhões

 

2. Todas as palavras graves (paroxítonas) formam o plural em -ãos, mas também algumas palavras agudas (oxítonas) e monossilábicas.

órfão - órfãos

sótão - sótãos

irmão - irmãos

pagão - pagãos

chão - chãos

mão - mãos

grão - grãos

 

3. Um pequeno número muda a terminação de -ão para -ães

alemão - alemães

cão - cães

capitão - capitães

charlatão - charlatães

pão - pães

sacristão - sacristães

tabelião - tabeliães

 

Algumas palavras aceitam várias formas de plural. É o caso de:

- aldeão - aldeões/ aldeãos/ aldeães

- anão - anões/ anãos

- ancião - anciãos/ anciães/ anciões

- castelão - castelãos/ castelões

- corrimão - corrimãos/ corrimões

- ermitão - ermitãos/ ermitães/ ermitões

- hortelão - hortelãos/ hortelões

- refrão - refrães/ refrãos

- rufião - rufiões/ rufiães

- sultão - sultões/ sultãos/ sultães

- Verão - verões/ verãos

- vilão - vilãos/ vilões

publicado por PN às 21:34

link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
Domingo, 9 de Novembro de 2008

Feminino de embaixador

- Que nome se dá a uma mulher que dirige uma embaixada?
 
Embaixadora é a palavra que se institucionalizou para designar a mulher que ocupa o mais alto cargo diplomático de representação de um Estado noutro, chefiando uma embaixada.  
 
Provavelmente alguns leitores estarão a questionar-se:
 
- Mas o feminino de embaixador não é embaixatriz?
 
Sim, caríssimos leitores, embaixatriz é o feminino de embaixador, mas embaixadora também é aceite como tal. A razão deste “duplo” feminino prende-se com questões relacionadas com a tradição.
Antigamente só os homens é que ocupavam o cargo de chefia de uma embaixada. Frequentemente, os embaixadores deslocavam-se com as suas famílias, em especial com as esposas a certos eventos. Passou-se então a chamar à esposa do embaixador, embaixatriz. Ora, os tempos mudaram e o cargo já pode também ser ocupado por mulheres. Para se diferenciarem das tradicionais embaixatrizes, esposas dos embaixadores, surgiu o termo embaixadoras.
Assim, hoje a palavra embaixador tem um duplo feminino e, assim chamamos:
 
  • Embaixatriz, à esposa do embaixador
  • Embaixadora, à mulher responsável pela chefia de uma embaixada
 
A primeira mulher portuguesa que exerceu este cargo (na UNESCO de 1975 a 1979), Maria de Lourdes Pintassilgo, foi oficialmente designada como embaixadora. Mais recentemente, Ana Gomes exerceu o cargo de Embaixadora de Portugal em Timor e actualmente temos duas embaixadoras, uma na Nigéria e outra na Eslovénia.
Já agora, ainda no âmbito dos cargos diplomáticos, o feminino de cônsul é consulesa.
publicado por PN às 21:24

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sábado, 8 de Novembro de 2008

Vomitar ou Gomitar?

Durante algum tempo, quando era criança, dizia "eu gomito", pois era o termo que usava a minha avó. Mais tarde, ensinaram-se que se devia dizer "eu vomito".

Com efeito, vomitar é o verbo consagrado pelo português padrão, mas "gomitar" surge-nos também no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, 8.ª edição, como sendo a forma popular de vomitar.

Por isso, embora se aceite "gomitar" enquanto regionalismo, deve-se usar a forma "vomitar".

publicado por PN às 21:22

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 6 de Novembro de 2008

Mais bem ou melhor?

Qual a frase correcta?

 

a) Ele está mais bem preparado para o teste. 

b) Ele está melhor preparado para o teste.

 

Analisemos cada uma das expressões destacadas. "Mais bem" é o comparativo do advérbio "bem". "Melhor" é o comparativo de "bom".

O que está em causa nesta expressão? O estar bem preparado ou o estar bom preparado? Exacto, "estar bem preparado", logo a frase correcta é a da alínea a).

A expressão "mais bem" vem acompanhada de um particípio passado que acaba por funcionar como adjectivo e forma um todo com o advérbio. Daí que tenhamos expressões como bem-parecido e bem-feito que acabaram por se unir com um hífen. Assim, dizemos:

 - Ele é mais bem-parecido que o irmão.

- Este bife está mais bem temperado do que o que comi ontem.

 

publicado por PN às 21:18

link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
Terça-feira, 4 de Novembro de 2008

Desapercebido ou despercebido?

Qual é a frase correcta?
 
a)      Ele passou tão desapercebido que ninguém deu pela sua passagem.
b)      Ele passou tão despercebido que ninguém deu pela sua passagem.
 
A resposta acertada seria a da alínea b). Repare na distinção entre os dois termos:
 
- Desapercebido = Significa “desprevenido; desguarnecido; desacautelado”.
 
Exemplo:
 
És tão desapercebido. Não te apercebeste que ela estava a brincar contigo.
 
- Despercebido = Significa “que não se vê, não se ouve, não se nota ou mal se sente”.
 
Exemplo:
Com um gesto despercebido, ele roubou-lhe a carteira.
 
Com esta palavra também se formam as seguintes expressões:
 
- fazer-se despercebido = fingir que não se percebe alguma coisa.
- passar despercebido = passar sem ser notado.
publicado por PN às 21:10

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Segunda-feira, 3 de Novembro de 2008

Ir ao encontro de ou ir de encontro a?

Qual a expressão que devo usar para indicar que o João concorda comigo?

a) O João foi de encontro ao que eu disse.

b) O João foi ao encontro do que eu disse.

 

A expressão correcta, neste caso, é “foi ao encontro do que eu disse”. Repare na distinção entre as duas expressões:

 

Ir ao encontro de = ir em direcção a; estar de acordo com.

Exemplos:

- O João foi ao encontro da mãe. (=o João foi em direcção à mãe)

- Isso vai ao encontro do que sempre pensei. (= isso está de acordo com o que pensava)

 

Ir de encontro a = ir contra algo ou alguém

Exemplos:

- O João tropeçou e foi de encontro à porta. (=foi contra a porta)

- O parecer foi de encontro àquilo que pretendíamos. (=foi contra o que pretendíamos)

 

Assim, em português correcto, quando alguém concorda connosco, usamos “ir ao encontro de”, quando não está de acordo, utilizamos “ir de encontro a”.

publicado por PN às 21:06

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Domingo, 2 de Novembro de 2008

Retratar ou retractar?

"É mentira. É uma grandessíssima mentira. Exijo que aquele senhor se retrate!"

 

Com frequência estes dois verbos são confundidos. Na frase acima usou-se erroneamente a forma "retrate", do verbo retratar que significa fazer um retrato. Portanto, está-se a pedir que alguém faça um retrato de si próprio, ao invés de pedir que desminta algo que disse anteriormente.

Assim em português correcto dever-se-ia escrever:

 

"Exijo que esse senhor se retracte!"

publicado por PN às 21:26

link do post | comentar | favorito

Plural de zângão

O plural de zângão, macho da abelha, é zângãos.

 

As formas "zangãos" e "zangões" são aceites como plural de "zangão", pessoa que se zanga com facilidade.

 

Assim, não se esqueça de colocar o "chapéu" (acento circunflexo) no "a" quando se referir à abelha macho nem que o plural é "zângãos".

publicado por PN às 21:21

link do post | comentar | favorito

Ter a ver ou ter a haver?

Qual é a forma correcta?

 

a)      Isso não tem nada a ver com este assunto.

b)      Isso não tem nada a haver com este assunto.

 

A frase mais correcta é a da alínea a). Com efeito, as expressões “ter a ver” e “ter a haver” podem ser confundidas. Vejamos o que cada uma significa:

 


  • Ter a ver = ter relação (com), dizer respeito (a).


  • Ter a haver = ter a receber.



 

Clarifiquemos melhor com alguns exemplos:

 



  1. O João não tem nada a ver com este problema. (=o problema não diz respeito ao João, não está relacionado com ele)



  2. O João não tem nada a haver. (= o João não tem nada para receber.)



 

A confusão entre estas duas expressões poderia ser evitada se em vez de “ter a ver” usássemos a expressão mais correcta “ter que ver”. Realmente “ter a ver” é um galicismo, isto é, uma expressão que importámos do francês e que cada vez usamos mais em vez da portuguesa “ter que ver”.

            Assim, em português correcto, devemos dizer:

 

Isso não tem nada que ver com este assunto.
publicado por PN às 21:03

link do post | comentar | favorito

pesquisar

 

tema

"de forma que” ou “de forma a que”

"façamos" e "possamos" (pronúncia de)

à

à bocado ou há bocado; à pouco ou há pou

a cerca de

à falta de/ há falta de

a fim ou afim

a herpes ou o herpes

á ou há

à parte ou aparte

à pouco ou há pouco

a ver ou haver

à vontade ou à-vontade

à/há/a

abreviaturas

abstenção ou abstinência

acerca de

acerto ou asserto

acessibilidade ou acesso

acordo ortográfico

açoreano ou açoriano

adesão ou aderência

adjectivos

adn ou dna

ah

album ou álbum

alcoolemia ou alcoolémia

aldeão (plural de)

aluga-se ou alugam-se

alugar ou arrendar

amaríssimo

analisar ou analizar

andar ou andarem (infinitivo impessoal o

anteontem ou antes de ontem

antes de mais ou antes demais

aonde ou onde

apesar de a ou apesar da

apetência ou aptidão

aprender e apreender

apresentar-se-à ou apresentar-se-á

arrolhar ou arrulhar

ás ou às

assoar ou assuar

atractivo ou atraente

atraem ou atraiem

aula de inglês em natal

bêbado ou bêbedo

bem haja/ bem aja/ bem hajam

benvindo/ bem-vindo

bilião

blogómetro; top 10

boas festas ou boas-festas

bocal ou bucal

bolçar ou bolsar

ç

c

caber ou couber

caem ou caiem

calçar ou vestir luvas

cartuxo ou cartucho

cérbero ou cérebro

cerrar ou serrar

chamar a/ à atenção

cheque ou xeque

círculo ou ciclo vicioso

climático ou climatérico

clínico geral (feminino de)

cobarde ou covarde

côco ou coco

com nós ou connosco

com ou sem "h"

concertar ou consertar

concerteza ou com certeza

concerto ou conserto

concordância com "o número de"

conjugação pronominal

consolado ou consulado

consolar ou consular

convidamo-vos ou convidamos-vos

cor ou côr

corrector ou corretor

costear ou custear

costeleta ou costoleta

cota ou quota

currículo ou curriculum

de que

de repente ou derrepente

decerto/ de certo

decorrer ou decorrimento

defenida ou definida

deferir ou diferir

degradado ou degredado

demais ou de mais

desapercebido ou despercebido

desfolhar ou folhear

desfrutar ou disfrutar

desmentimento ou desmentido

pronomes

tacha ou taxa

ter de ou ter que

todas as tags